GFT começa 2016 com crescimento de 10% na receita

GFT começa 2016 com crescimento de 10% na receita

  • A receita consolidada aumentou em 10%, atingindo 97,39 milhões de euros no primeiro trimestre de 2016
  • As receitas das unidades da Europa Continental aumentam em 24%, totalizando 46,05 milhões de euros
  • EBITDA melhorou em 6%, fechando 10,15 milhões de euros
  • Previsão de receitas e lucros atualizada para o exercício de 2016

São Paulo, 17 de maio de 2016 – A GFT Technologies SE (GFT) fez progressos animadores no primeiro trimestre de 2016, apresentando um crescimento consistente na receita e lucros. Mais uma vez, o crescimento foi impulsionado pela grande procura por soluções para digitalizar processos de negócios e para implementar os requisitos para atender as demandas regulatórias do setor financeiro.

 

A receita consolidada aumentou em 10%, atingindo a ordem dos 97,39 milhões de euros no primeiro trimestre de 2016. No mesmo período do ano passado o valor foi de 88,52 milhões de euros. Ajustado às contribuições de receita da Adesis Netlife S.L. (Adesis), adquirida em julho de 2015, o crescimento orgânico da GFT foi de 6%.  

A demanda por projetos e soluções para Transformação Digital por parte de instituições e bancos de varejo, manteve-se em alta nos primeiros três meses.

No primeiro trimestre de 2016, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) atingiu 10,15 milhões de euros, o que representa uma melhora de 6% em relação aos 9,61 milhões de euros do ano anterior. Os lucros antes de impostos (EBT) apresentaram valores ligeiramente superiores em relação a 2015, passando de 6,89 para 7,04 milhões de euros. O lucro por ação subiu para 0,21 euros. No mesmo período de 2015 o valor era de 0,18 euros.

No Brasil, a receita obtida nos três primeiros meses de 2016 obteve um crescimento de 48% em comparação com o mesmo período de 2015. Oficialmente, a operação brasileira tem 479 colaboradores full-time (sem considerar os 105 novos funcionários da Habber Tec, empresa adquirida em em abril de 2016). No primeiro trimestre de 2015 o número era de 321.

“A evolução da companhia no Brasil se deve à sua trajetória de crescimento e posicionamento como referência em Digital para o segmento financeiro, que se baseia na colaboração e no fomento ao espírito inovador em projetos de BPM, Mobilidade, Analytics e Transformação Digital, competências que vão ao encontro dos principais desafios que os bancos enfrentam com relação à transformação digital“, explica o managing director Latam da GFT, Marcos Santos.

 

Mudança no relatório por segmento a partir de 1º de janeiro de 2016

O relatório por segmento da GFT foi alterado em 1º de Janeiro de 2016. Como resultado da venda da emagine, divisão de negócios especializada na alocação de profissionais, a estrutura corporativa usada para orientar os segmentos mudou. A unidade de negócios GFT foi dividida nos segmentos Américas & Reino Unido e Europa Continental. Os valores do ano anterior foram ajustados em conformidade. O segmento Américas e do Reino Unido compreende as filiais no Reino Unido, EUA, Canadá, Brasil, Costa Rica, México e Peru. Já o segmento Europa Continental inclui as unidades da Alemanha, Itália, Polônia, Suíça e Espanha.

 

Evolução das receitas e lucros

No primeiro trimestre de 2016, o segmento Américas e Reino Unido registrou receita da 51,18 milhões de euros, valor próximo ao apresentado no ano anterior, de 51,46 milhões de euros. O segmento da Europa Continental alcançou um crescimento de receita de 24%, passando de 37,05 a 46,05 milhões de euros.

A contribuição dos lucros antes dos impostos (EBT) do segmento Américas e do Reino Unido caiu de 3,24 milhões no primeiro trimestre de 2015 para 1,08 milhões euros no período em análise. Esta diminuição se deve principalmente ao aumento no quadro de funcionários no Reino Unido e EUA para projetos recentes que ainda não se encontram em fase de implementação produtiva. O segmento Europa Continental reportou lucro antes dos impostos na ordem dos 4,65 milhões de euros, o que representa uma melhora de 19% em relação aos 3,92 milhões de euros do ano anterior. O aumento das alocações de custos do Grupo para os segmentos operacionais Américas e Reino Unido e Europa Continental teve um impacto positivo sobre os rendimentos da categoria Outros, passando de -0,27 milhões em 2015 para 1,31 milhões de euros no período de análise em questão. 

 

Número de colaboradores cresce para cerca de 4.200

Até 31 de março de 2016, a GFT contava com 4.159 colaboradores em tempo integral, representando um crescimento de 28% em relação ao mesmo período do ano passado, no qual o número de colaboradores era de 3.257. O aumento no quadro de colaboradores se deve principalmente à aquisição da Adesis, com 200 colaboradores na Espanha e 77 no México, bem como pela contratação de novos funcionários, sobretudo em centros de desenvolvimento na Espanha, Polônia, Costa Rica e no Brasil.

 

Previsão atualizada para o exercício de 2016

"Com o crescimento da receita em 10%, a GFT apresentou um início do exercício de 2016 bem sucedido, continuando à frente dos resultados obtidos no mercado. Os especialistas da Gartner preveem que, neste ano, os bancos irão aumentar em 4,8% seus gastos com serviços e soluções de TI. Esperamos que os orçamentos de TI, no que tange a implementação de requisitos que atendam as demandas regulatórias no setor financeiro, permaneçam elevados, com aumento de investimentos para digitalizar processos de negócios. Neste contexto, iremos manter nossa previsão de receitas para 2016", diz Ulrich Dietz, CEO da GFT.

A GFT prevê uma receita de 410 milhões de euros para o exercício de 2016. A empresa pretende atingir EBITDA de 48,50 milhões de euros e um EBT na ordem dos 35 milhões de euros para este ano.

 

Outros dados financeiros

Até 31 de março de 2016, o caixa, os equivalentes de caixa e títulos totalizaram 42,88 milhões de euros, 4,10 milhões de euros abaixo dos valores do final do exercício de 2015 (em 31 de Dezembro de 2015 foi de 46.98 euros). O capital próprio, datado de 31 de março de 2016, totalizou 124,77 milhões de euros, sendo 0,32 milhões de euros a mais em relação à data do balanço de 31 de dezembro de 2015, que fechou em 124,45 milhões de euros. O total de ativos fechou em 326,06 milhões de euros, considerando o período de 31 de dezembro de 2015 (com 326,81 milhões) a 31 de março de 2016. Até 31 de março de 2016, a quota de capital próprio (equity ratio) permaneceu em 38%, mesmo valor de 31 de Dezembro de 2015.

Dados financeiros detalhados estão disponíveis na seção Investor Relations do site.

A evolução da companhia no Brasil se deve à sua trajetória de crescimento e posicionamento como referência em Digital para o segmento financeiro, que se baseia na colaboração e no fomento ao espírito inovador em projetos de BPM, Mobilidade, Analytics e Transformação Digital, competências que vão ao encontro dos principais desafios que os bancos enfrentam com relação à transformação digital”
Marco Santos Regional Managing Director Latam da GFT
Quote

Key figures (não auditado) em conformidade com o IFRS 5:

Valores em conformidade com o IFRS - em milhões de euros

01/01/-31/03/2016

01/01/-31/03/2015

Possíveis discrepâncias devido às diferenças de arredondamento

Faturamento

97,39 88,52

EBITDA

10,15 9,61

EBIT

7,40

7,25

Lucro antes dos Impostos (EBT)

7,04

6,89

Lucro líquido para o período

5,57 4,74

Lucro/ação segundo IAS 33 em euros

0,21

0,18

Quota de capital Próprio (%)

38
(31/03/2016)

38
(31/12/2015)

Colaboradores (em tempo integral) até 31.12 

4.159

3.257

 

Relatório Financeiro Trimestral (até 31/03/2016)

GFT começa 2016 com crescimento de 10% na receita

Apresentação para Analistas (em inglês)

Resultados financeiros do primeiro trimestre de 2016

Relatório Financeiro Trimestral (até 31/03/2016)

GFT começa 2016 com crescimento de 10% na receita

Apresentação para Analistas (em inglês)

Resultados financeiros do primeiro trimestre de 2016