Mercado bilionário da cibersegurança vai perseguir 7 prioridades este ano

02 maio 2024
gft-image-blog-cyber-security-adobe-594956421.jpg
gft-br-contact-alessandro-buonopane-2.png
Alessandro Buonopane
CEO
GFT Brasil
Tempo de leitura
Minutos
Compartilhar artigo
Estar na vanguarda da corrida tecnológica e colher os benefícios do uso da Inteligência Artificial (IA) integram as estratégias de negócios de empresas mundo afora nos últimos 16 meses - tendo o anúncio do ChatGPT pela OpenAI como o seu grande marco zero. Porém, para isso, é preciso assegurar que um dos pilares de sucesso seja a segurança digital de dados e informações, sob pena de danos catastróficos. Assim como as empresas, criminosos cibernéticos também seguem a “hype” da IA.

Desta forma, a plataforma de IA é instruída a produzir um conjunto de instruções adicionais nas suas respostas

Os temores em torno do potencial do mal uso da IA não são injustificados: apenas 18% dos profissionais antifraude lançam mão de ferramentas de IA e machine learning no seu trabalho, segundo levantamento da Associação de Investigadores de Fraudes Certificados (ACFE). Como diz aquele antigo ditado: copo meio vazio então? Nem tanto. Agora, falemos do copo meio cheio da questão.