GFT registra crescimento de dois dígitos em 2016

GFT registra faturamento de 422,56 milhões de euros em 2016

Com o crescimento de dois dígitos da receita, companhia  alcança um aumento de 13% em relação ao ano anterior. Já o EBITDA fechou em 46,77 milhões de euros. O número de funcionários cresceu 20%.

São Paulo, 2 de março de 2017 - O Grupo GFT anuncia os resultados preliminares e não auditados para o ano fiscal de 2016. Apresentando um sólido crescimento de receita e dos lucros, a companhia de Tecnologia da Informação especializada em Digital para o setor financeiro superou suas expectativas para o exercício de 2016. A forte demanda dos bancos de varejo por soluções e projetos de Transformação Digital foi mais uma vez um dos principais motivos de crescimento. No segmento Americas & UK, o crescimento se mostrou desacelerado pela redução de investimentos em serviços de TI por bancos de investimento.

 

Em comparação com o ano de 2015, a receita consolidada aumentou 13%, passando de 373,51 milhões de euros para 422,56 milhões de euros durante o exercício financeiro de 2016, ultrapassando a previsão anual de 420 milhões de euros, atualizada em agosto de 2016. Ajustado às receitas provenientes das aquisições da Adesis Netlife SL, em julho de 2015, e da Habber Tec Brasil, em abril de 2016, o crescimento foi de 10%.

 

Receitas na Europa e Américas

 

O segmento Europa Continental apresentou um aumento de receita de 23%, totalizando 200,52 milhões de euros no exercício de 2016. Em 2015 as receitas alcançaram 162,68 milhões de euros. Este crescimento foi impulsionado sobretudo pela consistente demanda por soluções e projetos relacionados à transformação digital de bancos de varejo. O crescimento das receitas foi particularmente positivo na Espanha, um dos países  com mais iniciativas de transformação digital no setor financeiro europeu. As receitas neste país aumentaram 61%, passando de 48,45 milhões, em 2015, para 78,05 milhões em 2016.

O segmento Américas & UK (cujos clientes são principalmente bancos de investimento) alcançou um crescimento de 4%, passando de 210,78 milhões, durante o exercício de 2015, a 219,42 milhões de euros. O desempenho moderado nesta divisão espelha a desaceleração geral que setor de investment banking vem apresentado desde o início de 2016. Incertezas em torno do referendo Brexit também contribuíram para um menor investimento em serviços de TI.

O lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) aumentou em 5%, totalizando 46,77 milhões de euros. Durante o exercício de 2015, o valor foi de 31,30 milhões de euros. O EBITA de 2016 já abarca as mudanças cambiais negativas de -1,97 milhões de euros, devido principalmente à desvalorização da libra esterlina. Os efeitos da desvalorização foram considerados e apresentados no último balaço, em agosto de 2016, quando as orientações do EBITDA e EBT apresentaram redução de dois milhões de euros cada, passando a 46,50 milhões de euros e 33 milhões de euros, respectivamente. O lucro antes de impostos (EBT) melhorou 2%, de 32,52 milhões (2015) para 33,05 milhões de euros. Devido a uma taxa de imposto mais elevada de 27%, o lucro por ação fechou em 0,92 euros, menor em relação a 2015, quando fechou em 1,01 euros. No ano anterior, os reembolsos de impostos retroativos na Espanha possibilitaram uma taxa de imposto de apenas 18%.

 

Número de colaboradores cresce para cerca de 4.900

 

Até 31 de dezembro de 2016, o quadro de funcionários em tempo integral da GFT contava com 4.870 colaboradores, representando um crescimento de 20% em relação ao exercício de 2015, quando o número de colaboradores era de 4.050. Tal aumento se deve principalmente pela contratação de novos funcionários, sobretudo em centros de desenvolvimento na Espanha, Polônia, Costa Rica e no Brasil. Além da aquisição da Habber Tec Brasil, que somou 102 colaboradores à companhia.

 

No Brasil, mesmo em face da crise econômica que o país enfrenta nos últimos anos, a GFT apresentou um desempenho anual impressionante em 2016. “Nossa receita aumentou em 157%, o maior crescimento dentre as unidades do Grupo GFT. Além disso, para atender a demanda de projetos de Mobilidade, Analytics, BPM, BackOffice Digital, somaram-se 343 novos profissionais à operação brasileira em 2016, um crescimento de 76% em relação ao ano anterior - outra vez o maior crescimento do grupo. Esta excelente evolução nos negócios da empresa nos consolida como referência em Digital para o Segmento Financeiro no mercado nacional", comemora o managing director Latam do Grupo GFT, Marco Santos.

 

Evolução no 4º trimestre de 2016

 

Durante o quarto trimestre de 2016, foi gerada uma receita consolidada de 108,28 milhões de euros, o que corresponde a um crescimento ano a ano de 6%. No mesmo período de 2015, a receita foi de 102,03 milhões de euros. O EBITDA e EBT no quarto trimestre fecharam em 4% a menos do que em 2015, passando de 13,26 milhões e 9,77 milhões a 12,77 milhões de euros e 9,34 milhões de euros, respectivamente.

 

Outros dados financeiros

 

Até 31 de dezembro de 2016, o caixa, os equivalentes de caixa e títulos totalizaram 62,29 milhões de euros, ou seja, 15,31 milhões de euros, ou 33% a mais do que exercício de 2015. Em 31 de Dezembro de 2015 foi de 46,98 euros. O capital próprio totalizou 115,90 milhões de euros, 7% a menos em relação ao balanço de 31 de dezembro de 2015, que fechou em 124,45 milhões de euros. O total de ativos apresentou um aumento de 39,23 milhões, fechando em 366,04 milhões de euros, 12% a mais do que em 2015, com 326,81 milhões de euros. A quota de capital próprio (equity ratio) até 31 de dezembro de 2016 ficou em  32%, sendo 6% abaixo do valor apresentado em 31 de Dezembro de 2015.

 

Outlook para 2017

 

Para o ano fiscal de 2017, a GFT antecipa um desenvolvimento positivo. "É esperado que estímulos como a crescente pressão sobre os custos, bem como a crescente concorrência no setor bancário produzam um crescimento dinâmico. As instituições financeiras precisam implementar projetos para aumentar sua eficiência e impulsionar a transformação digital de seus processos de negócios", comentou Ulrich Dietz, CEO da companhia. Prevê-se que a receita consolidada aumente e atinja 450 milhões de euros em 2017. Ao longo do ano, o EBITDA e o EBT devem melhorar, totalizando 48,50 milhões e 35 milhões de euros, respectivamente.

A previsão a médio prazo do Grupo GFT emitida em 2 de março de 2016 foi confirmada. No pressuposto de que a procura por soluções que atendam as demandas regulatórias permaneçam estáveis e a tendência de projetos que viabilizem a transformação digital dos processos de negócio continue, o Grupo GFT espera alcançar uma receita de 800 milhões de euros no médio prazo com uma margem EBITDA de cerca de 12% em 2020. O plano de negócios prevê um crescimento orgânico consistente de cerca de 10% ao ano, já levando em consideração aquisições específicas.

É esperado que estímulos como a crescente pressão sobre os custos, bem como a crescente concorrência no setor bancário produzam um crescimento dinâmico. As instituições financeiras precisam implementar projetos para aumentar sua eficiência e impulsionar a transformação digital de seus processos de negócios.”
Ulrich Dietz CEO
Quote
A receita da GFT Brasil aumentou em 157%, o maior crescimento dentre as unidades do Grupo GFT. Ademais, para atender a demanda de projetos de Mobilidade, Analytics, BPM, BackOffice Digital, somaram-se 343 novos profissionais à operação brasileira em 2016, um crescimento de 76% em relação ao ano anterior - outra vez o maior crescimento do grupo. Esta excelente evolução nos negócios da empresa nos consolida como referência em Digital para o Segmento Financeiro no mercado nacional”
Marco Santos managing director Latam
Quote

Indicadores Chave (não auditados, IFRS)

(Possíveis discrepâncias devido às diferenças de arredondamento)

Em milhões de Euros 2016 2015 %
Receita 422,56 373,51 13%
EBITDA 46,77 44,56 5%
EBIT 34,85 34,23 2%
Lucro antes dos Impostos (EBT) 33,05 32,52 2%
Lucro líquido para o período 24,23 26,55 - 9%
Lucro / ação em euros 0,92 1,01 - 9%
Quota de capital Próprio (%) 32
(31.12.2016)
38
(31.12.2015)
-
Colaboradores (em tempo integral) até 31.12 4.870 4.050 20%

 

Em milhões de Euros Q4/2016 Q4/2015 %
Receita 108,28 102,03 6%
EBITDA 12,77 13,26 - 4%
EBIT 9,45 10,38 - 9%
Lucro antes dos Impostos  (EBT) 9,34 9,77 - 4%

Lucro líquido para o período

6,15 11,11 - 45%
Lucro / ação em euros 0,23 0,42 - 45%
Quota de capital Próprio (%) 32
(31.12.2016)
38
(31.12.2015)
-
Colaboradores (em tempo integral) até 30.09 4.870 4.050 20%